Pretende abrir um negócio? Antes de mais nada, esclareça suas principais dúvidas!

Burocracia, finanças, gestão. Esses são apenas alguns dos pontos que passam a se tornar corriqueiros na vida de empreendedores que decidem abrir uma empresa. Porém, antes de se somar às mais de 25 milhões de Pessoas Jurídicas do Brasil, é preciso conhecer bem a nova condição. 

Para te ajudar a entender a fundo a rotina dos empresários, selecionamos e esclarecemos as quatro principais dúvidas dos empreendedores:

 

MEI, microempresa ou pequena empresa?

Saber em que categoria sua futura empresa se enquadra é o primeiro passo para a abertura de um negócio. Consequentemente, é preciso conhecer a diferença entre elas, definida basicamente pelo faturamento. O microempreendedor individual (MEI) é o empresário que atua sozinho e tem faturamento anual de até R$ 81 mil. O MEI ainda pode contratar um único funcionário. A microempresa é a categoria com faturamento anual de até R$ 360 mil, com possibilidade de contar com um sócio e a contratação de mais de um funcionário. Iniciativas maiores, com faturamento de até R$ 4,8 milhões por ano, são classificadas como pequenas empresas – ou empresas de pequeno porte. 

 

Qual o regime de tributação adequado?

Quatro regimes de tributação estão disponíveis aos empreendedores brasileiros e indicam como será o pagamento dos impostos por cada negócio, conforme o porte. O Sistema exclusivo do MEI (SIMEI) oferece isenção de tributos como o Imposto de Renda, o Cofins e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido. O contribuinte fica responsável, apenas, pelo recolhimento de R$ 55 mensal.

Sistema unificado, o Simples Nacional, reúne em uma única guia vários impostos, com possibilidade de redução e isenção, conforme cada situação. Para aderir ao Simples Nacional é preciso ter no máximo faturamento e R$ 4,8 milhões ano ano e as alíquotas variam entre 6% e 22%, conforme o setor de atuação.

As empresas com faturamento maior que R$ 78 milhões por ano devem aderir ao Lucro Real, em que os impostos são referentes ao lucro e não à venda. Por isso, esta modalidade é a escolhida por negócios com margens mais baixas de lucro.

O Lucro Presumido é a opção de empresários que não se enquadram no Simples Nacional, mas que faturam até R$ 78 milhões por ano. O imposto é calculado de maneira mais simples em comparação ao Lucro Real e a alíquota sobre a receita bruta é de 12% para comércio, indústria e serviços ou 32% para um grupo específico de serviços, como locação de bens. 

 

É melhor escolher por franquia ou negócio próprio?

A escolha depende do perfil do investidor e da avaliação que ele faz em relação a estas duas oportunidades. Por isso é fundamental conhecer o esquema de funcionamento de franquias, além dos prós e contras de cada uma das opções. Em todos os casos será necessário envolvimento e adaptações do investidor para a gestão do negócio.

 

Quando o empresário tem lucro?

Não é possível saber exatamente quando uma empresa terá lucro, pois isso depende de diversos fatores e o retorno não é imediato. No entanto, é importante ter em mente que o ideal é atingir o equilíbrio entre despesas e receitas do negócio, para uma gestão financeira saudável.

 

HYPERLINK

1- 

Deixar uma resposta

3 + onze =

NÓ ENTRAREMOS EM CONTATO COM VOCÊ!

Ex: (41)9988-87888

Experiência, ética e uma grande estrutura pronta para facilitar a sua vida.

Investimos em estrutura e capacitação para poder oferecer à sua empresa o que você mais precisa: facilidade e tranquilidade no seu dia a dia.

  • Mias de 30 anos de experiência em gestão contábil;
  • Presença em 9 cidades;
  • mais de 250 clientes atendidos;
  • 300 colaboradores e parceiros à sua disposição;
  • Motoristas para entregar e receber documentos.
Assessorar e executar as informações para tomadas de decisões e gestão corporativa de nossos clientes, prestando serviços com qualidade e comprometimento, valorizando os talentos internos e priorizando excelência no atendimento.
Ser a contabilidade modelo em Curitiba e nível nacional, buscando inovações tecnológicas objetivando agilidade no atendimento e desenvolvimento dos processos nas áreas contábil, fiscal, societário e RH.
  • Confiança;
  • Transparência;  
  • Ética Profissional;
  • Segurança e Transparência;
  • Comprometimento e Respeito;
  • Pontualidade e Assiduidade;
  • Respeito e Responsabilidade;
  • Coerência.

Nossa História

Uma tradição em família que se multiplica em diversas empresas e gerações da família Folador.

O casal Hermegildo e Maria naturais de Erechim – RS, constituíram uma família com 13 filhos, ele agricultor e empresário, era quem estruturava e controlava seus registros contábeis com notável diligência.

A partir dessa experiência a maioria de seus filhos descobriram sua vocação; Jacir Folador identificou-se com as questões de cuidado e zelo patrimonial, herdadas de seu pai. Hoje bacharel em Ciências Contábeis pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC), casado pai de dois filhos. Em 1982, com apenas 21 anos já formado e com registro no CRC, iniciou seu próprio escritório contábil firmando-se no mercado. Com o passar do tempo a experiência, trouxe novos conhecimentos ampliando suas vontades empresariais.

Todo o seu trabalho desenvolvido com seriedade e competência geraram reconhecimento na classe contábil, destacando a importância da contabilidade na gestão empresarial e nas tomadas de decisões administrativas e no crescimento das empresas. Hoje conta com uma equipe altamente capacitada nas áreas Contábil, Fiscal, Empresarial e Rh, proporciona aos seus clientes, todos os procedimentos para o melhor desenvolvimento do seu negócio, tem sempre em mente que o sucesso de seus clientes é o que justifica sua vocação.